Tributo a Cidadania é lançada com expectativa de arrecadar R$ 150 mil

Da assessoria

Prefeito Cantelmo Neto fala durante o lançamento da campanha, ladeado por Mirandir Bonissoni, do Sincobel, e Ana Lucia Manfrói e Luiz Graczik, da Secretaria de Assistência Social

Prefeito Cantelmo Neto fala durante o lançamento da campanha, ladeado por Mirandir Bonissoni, do Sincobel, e Ana Lucia Manfrói e Luiz Graczik, da Secretaria de Assistência Social

Contabilistas e lideranças ligadas à promoção social e à educação acompanharam a cerimônia de lançamento da campanha Tributo a Cidadania, na tarde desta quinta-feira na Câmara de Vereadores. Nesta edição da campanha, a expectativa da Secretaria de Assistência Social e do Sindicato dos Contabilistas de Francisco Beltrão é chegar a um valor próximo ao registrado há dois anos, de quase R$ 160 mil. No ano passado, somente R$ 63 mil forram levantados através do Tributo a Cidadania.

A campanha funciona como um mecanismo de captação direta de recursos que são investidos em projetos sociais do município. Na hora de declarar o imposto de renda, os contribuintes (Pessoa Física ou Jurídica) podem destinar até 6% do valor devido para o Fundo Municipal de Defesa da Criança e Adolescente. Através de um comitê gestor, projetos sociais de escolas de tempo integral e entidades assistenciais são selecionados e contemplados pelos recursos.

No lançamento da campanha, o prefeito Antonio Cantelmo Neto destacou que o principal desafio da campanha é esclarecer os contribuintes sobre o funcionamento da destinação dos recursos ao fundo. “Ainda precisamos esclarecer melhor às pessoas e empresas como funciona a campanha, que elas não serão oneradas a mais por isso, mas sim estarão contribuindo para que os recursos fiquem e sejam investidos aqui na cidade ao invés de irem para o governo federal e voltar na forma de repasse”, explicou Neto.

O contabilista Mirandir Bonissoni, presidente do Sincobel, explicou que a colaboração com a campanha pode ser feita somente informando ao contador o desejo em participar. “A destinação é feita antes da compensação do Imposto de Renda retido no exercício anterior, e pode ser feita somente com uma solicitação ao contador, sem qualquer acréscimo ao valor devido”, disse.

Nesta edição, uma das novidades é a formalização jurídica do Fundo da Criança e Adolescente, com criação de CNPJ. O professor da Unipar, André Comunello, também disponibilizou a equipe de um projeto de extensão da universidade voltado à palestrar e orientar contribuintes sobre procedimentos contábeis, inclusive os referentes à destinação ao Tributo a Cidadania. A secretária de Assistência Social, Ana Lucia Manfrói, e o coordenador da campanha, Luiz Graczik também acompanharam o evento.




Skip to content