Saúde realiza ações relacionadas a Hanseníase

20 de janeiro de 2023

Janeiro é o mês de conscientização, prevenção e combate a Hanseníase. Em Francisco Beltrão a secretaria municipal de Saúde está realizando a Campanha Janeiro Roxo, relacionada a esta doença crônica e transmissível, que atinge os nervos e a pele.

       Dia 26, próxima quinta-feira, na parte da tarde, será o “Dia da Mancha” em todas as unidades de saúde do município. Pacientes que tiverem alguma mancha no corpo com alteração de sensibilidade devem procurar a unidade de saúde do seu bairro para agendar o seu atendimento.

        A campanha nacional é encabeçada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.  A hanseníase é uma das enfermidades mais antigas. No mundo, cerca de 210 mil novos casos são reportados anualmente, dos quais, 15 mil são de crianças.

       No Brasil são detectados 30 mil novos casos ao ano. Uma lei de 2009 instituiu o último domingo do mês de janeiro como Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. O objetivo é chamar a atenção para as medidas de prevenção e controle da doença.  

       A hanseníase é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium Leprae, também conhecida como bacilo de Hansen (em homenagem à Gerhard Henrick Armauer Hansen, médico e bacteriologista norueguês, descobridor da doença, em 1873). O bacilo se reproduz lentamente e o período médio de incubação e aparecimento dos sinais da doença é de aproximadamente cinco anos.

       A hanseníase é fácil de diagnosticar, tem cura e tratamento gratuito por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Em geral, os primeiros sintomas surgem como manchas brancas, vermelhas ou marrons em qualquer parte do corpo, somadas à alteração na sensibilidade à dor, ao tato e à percepção do quente e do frio.

       Áreas dormentes também podem aparecer, especialmente nas extremidades, como mãos, pernas, córneas, além de caroços, nódulos e entupimento nasal. O diagnóstico da doença é feito na Unidade Básica de Saúde, onde a equipe de saúde examina o paciente e já inicia o tratamento. Imediatamente após começar o tratamento, que dura entre seis a doze meses, o paciente já não transmite mais a doença para as pessoas com quem convive.




Skip to content