Projeto de contenção de cheias será licitado em abril

Nesta semana a cidade de Francisco Beltrão voltou a enfrentar problemas de alagamentos devido ao excesso de chuvas. Na terça-feira (19) o rio Marrecas teve o seu nível aumentado em quase 6 metros, provocando o represamento de outros rios e córregos. A partir deste fato várias pessoas solicitaram informações sobre o andamento do projeto que prevê a contenção das cheias.

        Por meio dos órgãos de imprensa e redes sociais o prefeito Cleber Fontana explicou como vai funcionar o projeto e o trabalho que a administração municipal vem realizando para colocá-lo em prática o mais breve possível. Voltou a reafirmar que os recursos estão garantidos e depositados em uma conta  da prefeitura. O saldo atual é de R$ 47 milhões e 605 mil.

       “Trata-se do maior projeto da história do município e de muita complexidade, o que justifica uma tramitação mais lenta para que todos os requisitos sejam cumpridos e todas as licenças necessárias  sejam obtidas”, relata o prefeito. O primeiro passo foi licitar a empresa especializada para a elaboração dos projetos.

        Na primeira tentativa nenhuma empresa se habilitou. Uma nova licitação foi realizada, possibilitando a contratação da empresa em maio do ano passado. Foram seis meses de trabalho para a realização das análises, elaboração dos projetos e do relatório ambiental.

          Outra frente de trabalho busca a liberação das licenças ambientais e junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Neste caso foi necessário contratar um arqueólogo para realizar as pesquisas. Esta licença deve ser liberada nos próximos dias.

        Cleber também confirmou que a licitação da empresa que vai executar os projetos foi agendada para o dia 25 de abril. Dentre as obras está a construção do túnel de 1.200 metros de extensão e 8 metros de diâmetro, saindo do parque de Exposições Jayme Canet Júnior e seguindo até o Marrecas, pouco a frente do bairro Padre Ulrico. Esse túnel vai agilizar o escoamento da água para evitar que outros rios sejam represados e provoquem alagamentos.

       “Sabemos da gravidade que é esse problema que existe  há décadas. Nossa comunidade pode ficar tranquila porque o projeto de contenção da cheias é prioridade em nossa administração”, enfatizou. Em função de todas as ações que serão realizadas, o prefeito acredita que as obras devam durar pelo menos dois anos até que sejam concluídas.




Skip to content