Casa de Passagem acolhe pessoas em situação de rua

       Dentre os serviços oferecidos pela Prefeitura de Francisco Beltrão para pessoas em situação de rua, através da secretaria municipal de Assistência Social, estão a Casa de Passagem e o Serviço Especializado em Abordagem Social – SEAS. O trabalho é mantido diuturnamente.

      A Abordagem Social atende as mais variadas solicitações recebidas pelo telefone (46) 98402-8883 ou nas visitas em locais de permanência das pessoas em situação de rua. Dependendo de cada situação são feitos os encaminhamentos, inclusive para o atendimento pela equipe técnica composta por assistente social e psicólogo.

       A secretária municipal de Assistência Social, Nádia Bonatto, informa que as pessoas em situação de rua são originárias do próprio município, transeuntes ou migrantes e ao aceitarem o atendimento são encaminhadas para a Casa de Passagem onde terão atendimento da equipe técnica,  acomodações de banho, pernoite, roupas, alimentação e passagem para viajar, conforme a necessidade.

       O objetivo da Casa de Passagem é oferecer acolhimento institucional para pessoas em situação de rua e desabrigo por abandono, migração e ausência de residência ou pessoas em trânsito e sem condições de se sustentarem. O assistente social Valtemir Gomes esclarece que ela possui caráter provisório, pois geralmente atende pessoas em trânsito, que estão passando pelo município. “Aqui todos que precisam tem atendimento humanizado e com dignidade”, comenta Valtemir.

       A estrutura mantida pela administração municipal fica na rua Buenos Aires, nº 10, no Bairro Muniguaçu, fundos do Parque de Exposições Jayme Canet Júnior. Contatos podem ser mantidos pelo telefone (46) 3524-7856. Tem capacidade de acolhimento simultâneo de até 20 pessoas. Possui quartos masculinos, femininos e um adaptado. Atende, em média, até 50 pessoas por mês, a maioria homens com idade entre 29 a 59.

       De acordo com a secretaria de Assistência Social, em 2019 foram atendidas 574 pessoas. Em 2020 foram 503 e neste ano, até agora, foram prestados 250 atendimentos. A equipe de trabalho é formada pela  coordenadora, Zanete Lopes dos Santos, cozinheira, serviços gerais, monitores, assistente social e psicóloga.

Objetivos do serviço

– Superação e/ou minimização da situação de vulnerabilidade à qual se encontra;

– Esclarecimento sobre benefícios, programas, projetos ou outros serviços socioassistencias e demais serviços públicos;

– Proporcionar atendimento humanizado e com dignidade;

– Fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários;

– Inserção e/ou reinserção na comunidade de uma forma geral;

– Articulação com a Rede de Atendimento visando a otimização dos serviços prestados aos usuários;

– Mobilização para o incentivo da cidadania




Skip to content